A primeira apresentação na escola.

Meu príncipe!

Meu príncipe!

Olá!

Hoje eu tinha que vir aqui escrever! No último sábado foi a festa da família na escolinha do Davi. Aproveito para dizer que sou muito a favor dessa mudança. Algumas escolas mudaram a tradição de “dia das mães” e “dia dos pais” para simplesmente adotarem o Dia da Família, internacionalmente comemorado no dia 15 de maio.

Ouvi algumas mães reclamarem por não terem tido festa do dia das mães nas escolinhas dos filhos. Elas ficaram bem chateadas por não terem um dia de festa exclusivo para elas. Mas não é muito mais coerente comemorarmos com aqueles que nos rodeiam de amor, que nos respeitam, nos dão carinho, amparo? E essas pessoas podem ser pais, avós, tios, padrinhos, só mãe, só pai, mãe e mãe, pai e pai (no caso de casais homossexuais), enfim, nada de exclusão ou constrangimento de uma criança por não ter seu pai ou sua mãe presente numa data exclusiva para um ou para outro. DIA DA FAMÍLIA, dia daqueles que nos dão amor….e ponto!

Então, o nosso dia foi comemorado com uma festinha no sábado, 16 de maio. Massss, como foi o primeiro ano do Davi na escolinha, papai e eu já nos preparamos para um Davi manhoso, cheio de vergonha e claro que ele não dançaria na apresentação musical. Estávamos totalmente preparados.

Mas foi aí que o nosso pequeno, como sempre, nos surpreendeu. A música começou: “Avião sem asa, fogueira sem brasa, sou eu assim sem você…”Gennnnnnte, ele começou a mexer o corpinho para dançar e mexer os bracinhos na coreografia…cada parte da letra e fazia direitinho os movimentos, a coisa mais linda do mundo. Eu comecei a filmar e queria conter as lágrimas, mas era muito mais forte que eu e quanto mais ele fazia a coreografia, mas eu sentia vontade de sair correndo para abraça-lo e meus olhos se enchiam cada vez mais de lágrimas (assim como agora kkkk) e eu torcendo pra ninguém vir falar comigo e perceber que eu estava aos prantos com a apresentação.

Foi muito lindo, uma sensação de satisfação, orgulho, felicidade imensa que acho que só a mãe sabe como é. Ainda mais sendo a primeira vez!!!! Chega a doer de tanto amor!

Daí teve a segunda música: A grande Família! Cada criança vestida de um jeito: uma com touca de banho, outra com avental e bob no cabelo, outras dentro de uma piscina. Davi estava com roupão de banho. Quando começou a música “Essa família é muito unida….e também muito ouriçada…” o menino começou a se sacudir todo pra dançar, foi o maior barato, se empolgou e depois, em casa ele pedia: “põe o samba mamãe” kkkkkkkkk

Foi uma manhã muito especial, que mostrou os valores da família, mas quem nos mostrou realmente que o amor é simples, puro, singelo, mas muito, muito grandioso mesmo, foram as crianças, com toda a alegria, espontaneidade e sinceridade que elas têm!

Muito obrigada Papai do Céu! ♥

Anúncios

A primeira semana na escolinha!

ESCOLA 1

 

Olá!

Passada uma semana de escolinha, vamos ao resumo (ou longa história rss), dessa nova aventura:

Fiz questão que, nessa primeira semana de adaptação eu e meu marido pudéssemos participar pessoalmente junto com  o Davi, estarmos próximos, então, combinei com a minha mãe que eu sairia do meu trabalho voando para pegá-lo e leva-lo na escolinha. E foi assim:

Logo que cheguei na minha mãe ele já estava esperando prontinho, mas nem deu bola quando perguntei se queria ir para a escola, ele simplesmente achou que era um passeio qualquer. Conferido os itens da mochila (lanche, fralda, lencinho, caixa de ovo para a atividade do dia, kit higiene, etc), lá fomos nós…

Chegamos na porta da escola e o Davi todo curioso com aquela fachada pintada com menininhos e menininhas, toda colorida. Apertamos a campainha e fomos surpreendidos, pois, ao abrir o portão, as crianças estavam sentadas em roda e logo começaram a cantar uma musiquinha linda, tipo uma saudação de boas vindas para o Davi. Eu não me lembro bem como era a letra, mas dizia que “faremos de tudo para sermos seus amigos”, “bem vindo” e no final eles gritaram “Davi, Davi, Davi”. Muiiiitttooo legal, fiquei emocionada, mas ele ficou meio tímido entre a rua e o portão de entrada. rssss

Bom, logo as diretoras o receberam e o convidaram para se sentar com os amiguinhos na roda. Ele foi, mas sem tirar os olhos de mim. A professora então pediu para formar uma fila para ir para a salinha de aula, uma aluna pegou na mão do Davi e o levou até a sala. Uma lindeza!

Nessa hora, fiquei um pouco afastada, para ver como reagiria. Pois bem, não demorou nada para ele já pular, gritar, gargalhar e brincar de roda. De vez em quando eu ia dar uma espiada, foi quando conclui que a ideia de eu ficar na vista dele não era legal, pois quando eu aparecia, ele logo me chamava pra ficar com ele e quando eu me escondia, ele relaxava e brincava.

Então observei de longe, por mais alguns instantes e foi aí que vi Davi conversando com uma amiguinha. Essa, por sua vez, logo lascou um beijo na boca dele e eu, assustada soltei: “Nossa, mas já? Perdi meu filho!!!” Arrancando gargalhadas das professoras.

E assim decidi que já poderia voltar ao trabalho, caso ele viesse a chorar, me ligariam para busca-lo. Mas não, uma hora depois liguei na escola e a diretora me disse que estava tudo em ordem e logo me enviou umas fotos via Whatsapp, mostrando que realmente estava tudo indo bem. Coisa mais linda do mundo ver aquela coisinha pequena sentadinho da carteira da sala, prestando maior atenção na professora!!!!

Os únicos momentos de chororô foi  no final do dia, quando o soninho bateu e ele queria a chupeta (que eu mandei na mochila, mas ela tentam evitar) e quando os amiguinhos iam embora e ele percebia que ia ficando sozinho…mas logo o papai apareceu para busca-lo e tudo fico bem. Na agendinha só elogios de comportamento: cantou musiquinhas que já sabe, comeu bem e se divertiu muito!

E assim foram: primeiro, segundo e terceiro dias. No quinto dia a professora me liga dizendo que Davi estava febril. E foi aí que se confirmou tudo o que todos disseram quanto ao ingresso na escola: ficar dodói. Não pensei que seria tão rápido, mas foi: noite em claro, vômito, febre alta, Pronto Socorro, infecção de garganta e uma semana de antibiótico. Primeira vez!

E assim terminamos a semana, com a primeira falta do ano.

Hoje minha mãe o levou, foi o pior dia: muito choro e sofrimento. A vovó não queria deixa-lo durante todo o período e eu insisto na adaptação. Com ela vai ser mais delicado colocar na cabeça que vai ser bom pra ele e pra todos. Liguei uma vez e ele estava tranquilo, brincando…Deus queira que a semana termine bem…

 

Salinha de aula.

Salinha de aula.

Diversão

Diversão

Atividade

Atividade

O primeiro "trabalhinho"

O primeiro “trabalhinho”

 

Meu filho vai pra escola! E agora?

escola-2

Olá!

Nesse exato momento sinto o friozinho na barriga. Tipo aquela ansiedade do primeiro dia de aula, do dia da entrevista, do primeiro dia de trabalho…aquele medo do “sei lá o que” rsss Simplesmente porque daqui a pouco eu vou sair do trabalho para efetivar a matrícula do Davi na escolinha. Ainnnn!!!!

Foi uma decisão meio no “supetão”, não planejávamos para agora, esperaríamos mais para o final do ano, quando ele tivesse perto de três anos, porém, num jantar com os meus pais certo dia desses, meu pai deu um sinal dizendo que o Davi estava dando muito trabalho, que minha mãe estava cansada, que minha sobrinha na idade dele já ia para a escolinha, que ele tinha que fazer amiguinhos, etc, etc, etc. A mensagem foi bem entendida por nós e é bem verdade que o Davi está numa fase de muita energia e precisa de mais ainda para acompanha-lo. Ainda mais agora que minha mãe está mega dedicada à minha vó que teve uma fratura numa queda e está na cadeira de rodas…motivo suficiente para adiantarmos nosso planejamento inicial.

É bem verdade que esse planejamento “futuro” incluía a nossa condição financeira, então, fiquei o mês de dezembro pesquisando escolas, preços, indicações, prós e contras. Incrível a variedade de questões a serem avaliadas: estrutura da escola, higiene, aparência das crianças no ambiente, abordagem da profissional enquanto nos atendia, método de ensino, valores, o que inclui, o que não está incluso, formas de pagamento, localização, horário, alimentação, enfim, enquanto uma tinha algo que nos atraía, outra tinha mais ainda, mas deixava a desejar em outro quesito. E assim fomos às visitas, às eliminações, até que decidimos por uma:

Perto de casa, já que minha mãe o levará, com horário intermediário, pois “EU” quero pegá-lo e tentar implantar uma nova rotina de sono, já que Davi dorme muito tarde hoje (por volta de 23h) e às vezes a vovó o deixa dormir por volta de seis, sete da noite. A escolinha tem um bom espaço, é bem arejada, tem uma área aberta de recreação onde o sol bate bem gostoso, as crianças me pareceram bem tratadas e bem espertas, inclui o jantar e de todas as escolas que visitamos, foi a que cobrou o menor valor em material didático – sendo da mesma Editora das outras – e ainda me deixou livre para escolher comprar na escola ou pesquisar fora.

Enfim, tudo decidido agora vou partir para o “vamos ver”, fazer a matrícula e começar a pensar na próxima etapa que será a ADAPTAÇÃO! Mais minha do que a dele, talvez, mais da vovó também, que está angustiada com a ideia de ele ir para a escola já (ela não sabia o que fazer quando meu pai começou a conversa no jantar naquele dia). Será que ele será bem cuidado, será que fará amiguinhos logo, será que saberá brincar, será que ficará confortável, será que ficará feliz, será que vai me odiar por isso? kkkkkkk Será? Será? Será? Como diz a Luna do desenho “Show da Luna”: “São tantas perguntas”! rssssss

Mas é isso, não dizem que criamos filhos para o mundo? Pois bem, o meu está começando a conhecê-lo e então tenho que me preparar para dar todo o apoio, segurança e confiança que ele precisar.

Depois volto pra contar…

O dilema de comer nos finais de semana

images

Olá.

Mamãe aqui está se sentindo confusa e frustrada. Bom, desde meu retorno ao trabalho, após a licença maternidade, Davi fica o dia todo na casa da minha mãe. Decidimos que escolinha somente após dois anos, quando ele começasse a aprender a contar o que rolou durante o dia. OK, decidido, lá se foram dois anos rápidos e ainda passo pelo velho dilema da hora da refeição nos finais de semana.

Durante toda a semana, ao buscarmos o Davi na vovó é sempre a mesma história: “Nossa, Davi comeu bastante hoje. Tomou leite pela manhã, pão, bolachas, almoçou bem, quis repetir e blá, blá, blá e blá, blá, blá”. Enquanto minha mãe conta, é inevitável meu pensamento “Não vejo nada disso no final de semana” 😦

E é fato! Quando o final de semana chega, já começo a me planejar e procurar comprar as coisas que ele (de acordo com a propaganda da minha mãe) tanto gosta.

E lá vou eu no sábado controlando o relógio para fazer tudo certinho, mas meu sofrimento começa logo ao acordar: ele não que saber do leite na mamadeira, come um pedacinho pequenino de pão…e nega tudo o que é oferecido, menos o ovo mexido que o papai ama fazer e comer no sábado pela manhã. Quando eu acho que as coisas vão melhorar, chega o horário do almoço e é a mesma luta: primeiro a gente senta pra comer e ele quer escolher o lugar: ou no sofá, ou na cama assistindo desenho, eu aceito para tentar salvar a hora da refeição. Primeira colherada e ele já se levanta e parece uma lagartixa com caimbra que não para quieto. Daí a minha paciência vai ficando no vermelho e nada de ele abrir a boca. Faço palhaçadas, aviãozinho, helicóptero e ele fala pra mim: “come mamãe” apontando a colher pra minha boca! Oh meu Deus, eu assumo que para essa parte da maternidade eu sou um fiasco! A comida esfria, ele esbarra na colher e cai em cima da cama ou do sofá, eu tento limpar e derramo o suco, ele come três ou quatro colheradas e eu desisto! Ufa!

Mais tarde ofereço uma fruta, vitamina, biscoito e ele “só belisca” uma coisinha ou outra! No jantar a cena se repete do mesmo jeito. Daí eu penso: Qual a fórmula mágica da vovó? Por que eu não consigo? Ok, diz aí, onde estou errando…eu aguento! Mas por favor, me ofereçam uma luz para que ele coma um bocadinho mais com a mamãe aqui!

E quando a gente for viajar, como vai ser? Em nossas últimas férias foi um sofrimento. Uma semana comendo mal, negava tudo o que era oferecido e olha que tinham muitas opções gostosas e caseirinhas, do jeitinho que ele está acostumado. Chegamos em São Paulo com um bebê com febre, chegou até perder peso, mas que quando chegou na casa da vovó logo se recuperou. E não adianta dizer que a comida da vovó é melhor que a minha não, pois às vezes (sempre kkkkkkk) eu levo a “marmitinha” dele pra casa, para ver se vai…mas não tem jeito, não vai!

É isso, vamos ver se encontro uma solução para esse dilema da refeição………..

 

 

A festinha de aniversário do Davi

IMG_0735

Oi.

No último domingo comemoramos os dois aninhos do Davi com uma festinha para amigos e familiares. Durante os meses que antecederam a festa, fiquei muito ansiosa, vou explicar por que. No primeiro aniversário dele, ano passado, eu tinha uma ideia fixa de como queria a festinha, tudo estava na minha cabeça. Porém, talvez por falta de experiência, não soube passar para a pessoa que contratei, tudo o que eu havia planejado e então, o sentimento que tive naquela ocasião foi de frustração por não ter saído como imaginava.

Esse ano decidi por tudo no papel e pesquisar muito. Infelizmente onde moramos (Apartamento), não tem um espaço legal para fazer uma festa. Até temos salão de festas, mas bem pequeno, para um número bem pequeno mesmo de pessoas. Bom, fazendo as contas entre contratar a alimentação, espaço, brinquedo, bebidas, entre outras coisas, o preço sairia próximo a um buffet infantil e então resolvemos por essa opção.

Como sei que os buffets têm seus padrões de atendimento e como AMO pôr a mão na massa com artigos relacionados à festas, decidi então fazer as personalizações para deixar a festinha com a nossa cara.

O que me enrolei para decidir foi o tema, pois até então meu pequeno não demonstrava um único interesse por determinado personagem (claro, depois percebi que era a Peppa), fiquei entre tema avião, pipa, Doki e então eu vi que Galinha Pintadinha era um tema que ele gostava muito, pedia sempre para assistir, dança, canta e muito do seu desenvolvimento, aprendizado de palavras, cores, animais, ele aprendeu com ela. Decidido o tema, comecei fazendo latinhas recheadas com balinhas coloridas, depois tubetes com amendoins coloridos, mini baleiros, caderno para mensagens, tudo com rótulos e etiquetas personalizadas no tema e com o nome do aniversariante. Cada hora era uma ideia diferente e então vieram as etiquetas para colar nos cataventos do Buffet, plaquinhas de “Seja bem vindo” para a mesa dos convidados, porta retrato com uma foto nossa com a Galinha Pintadinha no shopping, lápis personalizados e até potinhos de papinhas que eu aproveitei: Usei quatro potinhos e cada um deles representava os ingredientes: Poti Poti, Perna de Pau, Olho de Vidro e Nariz de Pica Pau – representando a música da Borboletinha. Um mimo só!

Para padrinho, madrinha, vovós e vovôs, mandei fazer pequenas almofadas no tema da festa, com a foto do Davi e com a dedicatória para cada um. Foi uma surpresa bem legal para eles.

Bom, tudo pronto (da minha parte), o dia chegou e eu já acordei com um frio na barriga lascado: será que a decoração vai estar bonita, será que vão servir bem os convidados, será, será, será?????

E quando cheguei lá eu vi uma linda decoração, bem do jeitinho que eu queria. Vi um menininho encantado com tanta coisa colorida, com tantos personagens que ele adora, com tantos brinquedos. Vi convidados chegando, os vi sorrindo, brincando, vi crianças dando gargalhadas, presenciei um “Parabéns” super animado e o garotinho, ao final da festa, ainda que mega cansado, dizer “Não mamãe, vamos voltar pra festa”, mas ele, de tanto brincar, dormiu por cinco horas seguidas! Foi aí que tive um sentimento gostoso de satisfação e felicidade. Ufa, tudo correu bem!

E assim papai e eu agradecemos a Papai do Céu pelo excelente dia, por nos proporcionar condição de oferecer essa festa para nosso filho, para nossos familiares e  amigos que lá estiveram conosco.

Muito obrigada!

Mamãe ♥

Algumas fotos:

Latinha, tubetes, mini baleiros e plaquinha para mesa de convidados.

Latinha, tubetes, mini baleiros e plaquinha para mesa de convidados.

2IMG_06183IMG_0740

A verdadeira felicidade está nas coisas simples…

IMG_0531

Soprando a velinha.

Olá!

Como sabem, Davi completou dois aninhos ontem. Faremos uma festinha para amigos chegados e familiares no próximo domingo e ontem, o dia mesmo do aniversário, dedicamos uma pequena comemoração para papai, mamãe, avós e titios.

Da mesma forma que fiz no ano passado, saí como louca do trabalho para poder deixar tudo preparadinho. Queria colar faixa de Feliz Aniversário (que inclusive foi a mesma do ano anterior rs), bexigas e deixar tudo bem alegre para quando meu marido fosse busca-lo na minha mãe e chegasse em casa. Fiquei bastante ansiosa, pois com dois aninhos ele já consegue reagir, mostrar emoção, muito mais do que no primeiro ano e eu estava louca para ver sua reação. Corri no supermercado para pegar minha encomenda: sanduíche de metro e algumas empadinhas, refri, cervejinha e só! Só mesmo para receber nossa família e claro, a data não passar em branco.

Lá estou eu olhando pela janela da cozinha quando o carro do papai chegou. Saí correndo, dei a última arrumada e fiquei esperando na porta. Quando eles saíram do elevador, Davi já veio correndo e eu o barrei dizendo: “Mamãe tem uma surpresa!” Quando abri a porta foi sensacional ver aqueles olhinhos brilhando, olhando para cima, para as bexigas e dizendo “Oooooooolha papaaaaaiiiii” Ele saiu pulando e gritando “A-ni-ver-sáriooooooooooo” maior barato, maior sensação gostosa.

Logo chegaram minha sogra, meu sogro, minhas cunhadas e meu cunhado, minha sobrinha, meu irmão, meu pai, minha mãe com um bolinho, torta e então fizemos uma pequena festinha de aniversário regada de muita alegria e amor para nosso pequeno. Comprei vela do George Pig e pratinhos da família Pig e então cantamos parabéns e ele soprou a velinha feliz da vida!

E assim foi o dia de aniversário de nosso pequeno príncipe que, embora tenha ficado a maior parte do dia sem papai e mamãe que estavam no trabalho, fizemos tudo com o maior carinho para que ele terminasse seu dia da forma mais especial possível.

Acreditei ainda mais que são nas coisas simples que encontramos a verdadeira felicidade…

Obrigada papai do céu!

Veja a carinha quando ele chegou!

Veja a carinha quando ele chegou!

Feliz aniversário Davi!

20141028_083805

Olá filhote, tudo bem? Mamãe está escrevendo mais uma mensagem de feliz aniversário…na verdade a segunda! rssssss parece que foi ontem que eu estava comemorando aqui seu primeiro aninho de vida.

Esse segundo ano foi bem movimentado, você aprendeu muuuuuiiitas coisas novas. Na sua primeira festinha nem andar você sabia ainda e agora você corre pra lá e pra cá, sobe em tudo, e às vezes até acha que sabe demais. rs

É um garotinho muito tagarela, tem muitas coisas que você fala que nos surpreende e até nos faz dar gargalhadas. Essas são algumas coisinhas engraçadinhas que você fala hoje, que são muito fofinhas: ópito (helicóptero), ombus (ônibus), “ouviu isso mamãe?”, “que barulho é esse?” “ahhhh nããããooo” “onde está o abti?” (onde está o tablet), “ahhhhh que fofinho”. Você ainda confunde a forma de falar, por exemplo, quando quer alguma coisa diz “Quer água mamãe?” na verdade você está pedindo água. E quando o papai sai você diz: “Quer ir comigo papai?”, quando na verdade você quer dizer “Deixa eu ir papai”….

Escrevi essas coisinhas para que fiquem guardadas e para que, ao longo do tempo possamos ler e lembrar com saudades desse tempo. Como eu sempre digo, o tempo voa e nossa memória fica armazenada com tanta informação que algumas, tão lindas como essas possam se esconder entre elas.

Cada dia é um novo desafio para nós, cada dia aprendemos juntos. Sim, hoje você está bem travesso, descobrindo o que é ter vontade própria, descobrindo o que é contrariar e não querer ser contrariado. Calma aí mocinho temos uma vida pela frente, desacelere, mamãe e papai só querem o melhor para você.

Obrigada por nos escolher. Imagino que, na reunião no céu, os anjos nos mostraram a você e depois que viu papai a mamãe na terra você disse “tenho que ir lá conhecer esses figuras, eles parecem gente boa” rsssss

E cá estamos nós, todos os dias juntinhos. Uns mais tensos, mamãe como louca, às vezes meio bruxa, em outras como fada, mas sempre buscando passar os ensinamentos para que a vida seja mais doce, mais proveitosa, mais feliz.

Não precisamos de muito, apenas um do outro, cúmplices, amigos, companheiros, porto seguro…você, papai e eu: A NOSSA FAMÍLIA!

Feliz aniversário, que papai do céu mais e mais lhe cubra de bênçãos, de saúde e de inteligência. Que você esteja protegido na sua caminhada, que você seja sempre muito feliz!

Te amo mais que o infinito:

Mamãe. ♥